26__Renault_280309A taxa de desemprego da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), conforme a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) e Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), foi de 3,3% da população economicamente ativa (tabela 1) em setembro.

Esta taxa é levemente superior à do mês de agosto, e à de setembro do ano passado, quando alcançou 3,2%. Entre as sete áreas de capitais pesquisadas, a RMC mantém-se como a de menor desemprego, seguida de Porto Alegre.

O diretor do Centro Estadual de Estatística do Ipardes, Daniel Nojima, explica que essa estabilidade segue em linha com a que se observou para as outras seis regiões metropolitanas do País, que, em conjunto, alcançaram taxa de 5,4% em setembro, contra 5,3% do mês anterior e os mesmos 5,4% à de um ano atrás. As maiores variações, ainda que pequenas (de 0,4 ponto percentual), foram registradas para Recife e para São Paulo.

Particularmente, o aumento observado na RMC de um mês para o outro deveu-se ao indicativo de queda no pessoal ocupado e ao aumento da desocupação, que alcançou, estimadamente, 55 mil pessoas em setembro, afirma Nojima.

Ainda assim, diz o economista, o nível de ocupação permanece elevado, correspondendo a 57,8% da população em idade ativa – percentual superior ao do total das seis regiões metropolitanas pesquisadas, que foi de 54% em setembro no mesmo critério.

Confira mais notícias da Região Metropolitana de Curitiba pelo Jornal do Povo Paraná 

Confira mais notícias do Litoral do Paraná no Jornal do Povo Paraná

Confira mais notícias de Curitiba no Jornal do Povo Paraná

Confira mais notícias do interior do Paraná no Jornal do Povo Paraná

Com informações da AEN