Crianças e adolescentes que estão em tratamento de saúde no Hospital Pequeno Príncipe estão fazendo o jornal eletrônico Amigos do Príncipe. Eles são jornalistas-mirins do Jornal Extra, Extra!, projeto da Secretaria Municipal da Educação. As publicações são semanais.

O Jornal Extra, Extra! possibilita o desenvolvimento de jornais eletrônicos escolares, com a simulação da redação, desde a produção textual, produção de imagens (fotos, charges e vídeos), editoração e publicação na web.

Os trabalhos são feitos diretamente na internet, onde o estudante pode fazer alterações a qualquer momento, facilitando os processos para adicionar, remover e editar artigos, mantendo assim o jornal sempre atualizado.

“O objetivo da ação é fazer com que os meninos e meninas que aqui estão possam ampliar formas de questionamento, demonstrar interesses, qualificar escrita e leitura e saber interpretar a informação dos grandes meios de comunicação”, destaca a professora Mariliza Simonete Portela, da rede municipal de ensino, que trabalha na escolarização hospitalar no Hospital Pequeno Príncipe.

Os leitores podem encontrar, entre as publicações dos jornalistas do hospital, notícias locais como: No Hospital também Estudamos, Crianças Cardio, Museu Oscar Niemeyer. Também tem entretenimento, entrevistas, poesias, reportagens e vídeos. São textos com características distintas, fotografias e recursos gráficos que proporcionam uma leitura agradável dos conteúdos.

Com o Atendimento de Escolarização Hospitalar, feito por professores da rede municipal, os estudantes internados recebem os mesmos conhecimentos repassados na escola, utilizando, dentre os recursos pedagógicos, o jornal eletrônico.

Para todo mundo ler

A estudante Letícia da Silva Vieira, de 9 anos, da Escola Municipal Papa João XIII, está feliz pela oportunidade de trabalhar com o jornal, que já é um projeto consolidado em sua escola. “Posso contar um pouco do que vivo aqui e meus colegas lá da escola e do mundo podem acompanhar pela internet. É diferente de uma mensagem de celular, porque estou falando como jornalista”, afirma a menina.

Para trabalhar com o projeto no hospital, os professores têm formação específica e continuada para as atividades. Além de aprender a usar o recurso digital e o jornal como recurso pedagógico, eles entram em contato com as escolas das crianças, se integram sobre o conteúdo trabalhado no momento para dar continuidade aos temas, mesmo longe da escola. Quando voltam para as cidades e escolas de origem, as crianças sentem menos o impacto do tempo que passaram longe da sala de aula.

Para a mãe da Letícia, Jeane da Silva Viel, o trabalho da professora Mariliza e com o Jornal Eletrônico Extra, Extra! ajuda a reforçar os conteúdos da sala de aula, enquanto ela está no hospital. “Aqui ela não deixa de se desenvolver e aprender. Acredito que o jornal também dá mais confiança e autonomia para se informar”, conta Jeane.

O jornal eletrônico Amigos do Príncipe pode ser visto no http://extraextra.curitiba.pr.gov.br/gazeta/665.

Fonte: Prefeitura de Curitiba