A primavera está chegando. No próximo dia 22 de setembro começa a estação mais florida do ano, mas também o período de preocupação para aqueles que sofrem com a rinite. Os sintomas são fáceis de identificar: coriza, espirros, obstrução nasal, coceira nos olhos e outros parecidos com os de um resfriado qualquer. Mas ainda existem muitas dúvidas em relação à doença que atinge a mucosa nasal.

 

Pensando em esclarecer alguns mitos e verdades sobre a rinite, o otorrinolaringologista Diego Malucelli, da Otorrinos Curitiba, listou quatro dúvidas sobre a “doença da estação”. Confira:

 

1 – Rinite e sinusite são a mesma coisa.

Mito. A rinite é uma patologia da mucosa nasal e a sinusite é uma patologia dos seios paranasais, que são cavidades ao redor da face. As duas patologias podem estar intimamente relacionadas, mas não são a mesma coisa.

 

2 – Poeira e ácaros são os principais vilões da rinite alérgica.

Verdade. Quem tiver hipersensibilidade a essas substâncias poderá apresentar crise de rinite alérgica. Outros agentes podem ser causadores, mas em menor escala. Há, ainda, as rinites perenes, que são durante todo o ano, como é o caso de sintomas à exposição diante de animais domésticos, como cães e gatos.

 

3 – Existe predisposição genética para alergia.

Verdade. Filhos de pai e mãe com alergia têm 50% mais chances de desenvolver a doença.

 

4 – Rinite não tem cura, apenas tratamento para controlá-la.

Verdade. Existem medicamentos que podem melhorar os sintomas. A higiene do local, por exemplo (casa, escritório), pode ajudar a controlar a crise, mas não curá-la.

 

Prevenção

Como o especialista citou anteriormente, cuidar da saúde e manter a higiene do ambiente em dia são algumas das principais indicações. “A prevenção sempre é possível. No caso da rinite existem algumas medidas profiláticas, tais como mudança de hábitos (tabagismo, por exemplo), higiene ambiental, ter uma alimentação balanceada, manter a casa ventilada, evitar lugares muito fechados com aglomeração de pessoas e evitar cheiros fortes”, aconselha.

 

Procure orientação médica

Ainda de acordo com o doutor Diego, é importante procurar ajuda médica quando a crise aparecer. “Para quem sofre com a rinite, os antialérgicos, sprays nasais, lavagens nasais e descongestionantes são muito utilizados, mas é preciso orientação médica. Saber qual o tipo de rinite que está sendo tratada é importante para evitar o uso de medicamentos desnecessários e possíveis complicações”, finaliza o especialista.

 

Sobre Diego Malucelli

Diego Malucelli é médico otorrinolaringologista, especialista pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (SBORL) e Mestre em Distúrbios da Comunicação pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Possui MBA em Gestão de Negócios em Saúde pela Universidade Gama Filho e é especialista no tratamento de halitose. É professor da UTP, preceptor de Faringoestomatologia do serviço de especialização em Otorrinolaringologia do Hospital da Cruz Vermelha, além de Chefe do Serviço de Otorrinolaringologia no mesmo hospital.

 

Sobre a Otorrinos Curitiba

A Otorrinos Curitiba é a mais nova referência no atendimento da área de otorrinolaringologia da capital paranaense. Inaugurada em setembro de 2015 no bairro Mercês, a clínica possui estrutura moderna, excelente localização, tecnologia de ponta e profissionais altamente renomados para oferecer o melhor atendimento aos pacientes.

 

A Otorrinos Curitiba possui horário de atendimento diferenciado: de segunda a sexta, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 20h. Para maior comodidade dos pacientes, possui estacionamento no local.

 

A clínica atende aos seguintes convênios: Unimed, Amil Assistência Saúde, Bradesco Saúde, Copel, Cassi, Evangélico Saúde, Mediprev, Sanepar, Saúde Caixa, Sinam, SulAmérica e Voam.

 

Serviço:

Otorrinos Curitiba

Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês

Telefone: (41) 3335-0302 / 3336-9640 / 3339-4084

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br