A partir desta terça-feira (19/9), a Prefeitura de Curitiba incorpora a cirurgia de varizes como mais um procedimento médico no rol dos atendidos pela estratégia Mutirão Saúde Já. A iniciativa pretende retirar 3.300 pessoas da fila, cuja espera por atendimento, sem esta ação, poderia chegar a 20 meses.

Os pacientes começam a ser atendidos no Hospital do Idoso, com consultas médicas durante a semana e com as cirurgias aos sábados. A partir do próximo mês, a Santa Casa, o Hospital Madalena Sofia e o Hospital São Vicente também passam a integrar a ação.

O mutirão é direcionado aos pacientes que já estão inscritos na fila. Eles estão sendo convocados por suas unidades de saúde de referência, com o dia, horário e local que devem comparecer, primeiro para a consulta. Logo após a consulta, a cirurgia é agendada.

O mutirão faz parte da estratégia Saúde Já, lançada em março deste ano, pelo prefeito Rafael Greca. Com um investimento de R$ 12 milhões, a iniciativa está beneficiando um total de 200 mil pessoas que estavam na fila das especialidades.

Desde março, cerca de 145 mil pessoas já foram beneficiadas com o Saúde Já, que equalizou a fila de 55 mil pessoas que aguardavam para realizar exames de laboratório e realizou quase 90 mil agendamentos em especialidades como urologia, dermatologia, cardiologia, ortopedia e exames complementares.

“Saúde é prioridade na gestão do prefeito Rafael Greca. Por isso, o esforço da estratégia do Saúde Já para equalizar a fila das especialidades em Curitiba”, afirma a secretária municipal da saúde, Márcia Huçulak.

Na fila da vasectomia (na especialidade da urologia) quase 97% da fila de espera já foi atendida. Na especialidade de pequenas cirurgias da pele já foi atendida 85% da fila inicial e na dermatologia geral 52%. Na cardiologia, a fila já foi reduzida em 80% e na ortopedia em 41%. Na categoria dos exames complementares, a radiologia já teve 98% da fila equacionada e a ultrassonografia de abdômen 98%.

“Já tivemos grandes avanços desde que iniciamos os mutirões e esta é uma ação continuada. É importante que a população faça a sua parte, buscando não faltar nos agendamentos feitos, para evitarmos o absenteísmo. Faltar a uma consulta faz mal para a saúde de todo mundo, porque traz impacto para todo sistema”, diz Márcia.

Fonte: Prefeitura de Curitiba