Com a inclusão de seu nome na chamada “segunda lista de Janot”, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), pode entrar na mira do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pela segunda vez. Apesar de ainda não se saber em que circunstâncias, o político tucano foi citado em um dos 320 pedidos feitos pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a partir das 77 delações premiadas firmadas no âmbito da Lava Jato por executivos e ex-executivos de Odebrecht e Braskem.

Clique aqui para ler a matéria completa
Fonte: Gazeta do Povo