medicos cubanos paranaDezessete municípios do Paraná receberão os 57 profissionais cubanos que vão atuar no estado dentro do Mais Médicos. Eles chegaram ao estado entre sábado e ontem junto com outros intercambistas. Ao todo, 76 médicos estrangeiros foram destinados às cidades paranaenses nessa segunda fase do programa.

Dos cubanos, nove ficarão em Curitiba, sete vão para Londrina e seis para Guarapuava. Dos cinco municípios paranaenses que eram considerados pelo Ministério da Saúde como prioritários para receber os médicos caribenhos, Lapa, Jataizinho e Tunas do Paraná foram contemplados neste momento. Itambé e Mandirituba ficaram de fora novamente. Esses médicos estão sendo destinados às cidades que se inscreveram no programa e não foram escolhidas por nenhum brasileiro ou estrangeiro.

Até agora, 2,4 mil médicos cubanos chegaram ao Brasil. O acordo de cooperação do governo brasileiro com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para a importação de médicos de Cuba prevê que, em cinco anos, 4 mil profissionais venham atuar no país. Da primeira leva, a maioria seguiu para municípios das regiões Norte e Nordeste, incluindo os distritos sanitários indígenas. Para o Paraná, nenhum foi encaminhado.

Adaptação

Os médicos cubanos e formados em outros países que chegaram ao Paraná no último fim de semana passarão por um curso de adaptação nos próximos dias para conhecer um pouco mais do sistema de saúde local e das doenças típicas da região. Eles devem começar a atuar nas cidades para as quais foram designados a partir da próxima segunda-feira. Todos já estão devidamente certificados pelo Ministério da Saúde, a quem cabe agora emitir o registro provisório para o exercício da medicina em solo brasileiro.

Londrina

Os sete cubanos designados para Londrina desembarcam na cidade na noite de hoje e devem passar por mais uma etapa de treinamento para conhecerem e se adaptarem à realidade londrinense. A previsão é que eles comecem a atender a população no dia 11 de novembro, segundo o secretário municipal de Saúde, Francisco Eugênio de Souza. Os profissionais irão atuar dentro do programa Saúde da Família, conforme as regras do Mais Médicos.