Enquanto alguns setores do transporte coletivo já dão como certa a eliminação dos cobradores no sistema em Curitiba, outros ainda lutam para que os postos de trabalho sejam mantidos. Nesta ala dos que acreditam que haverá a eliminação de qualquer jeito, abre-se uma nova batalha: a da criação do cargo de agente de bordo, ou seja, uma mão de obra humanizada para auxiliar idosos e portadores de deficiências, dar informações aos usuários, organizar o embarque e desembarque, entre outros auxílios aos passageiros e ao motorista, em manobras mais arriscadas e para não desviar a atenção do condutor com questões não relacionadas ao trânsito. Assim, se os cobradores forem eliminados, assumiriam o novo cargo de agente de bordo.

Fonte: Tribuna do Paraná
Clique aqui para ler a matéria completa